Publicado em

Sarcopenia e estilo de vida moderno – como evitar?

Sarcopenia e estilo de vida moderno – como evitar?

Sarcopenia e estilo de vida moderno – como evitar?

A sarcopenia é uma entidade comumente associada ao processo de envelhecimento, mas que nos dias atuais tem aparecido cada vez mais precoce, especialmente em virtude do estilo de vida moderno, com péssimos hábitos alimentares e sedentarismo.

Conceitualmente, o processo consiste na perda de massa muscular relacionada com a idade. Entre as suas possíveis inter-relações bioquímicas e fisiopatológicas, podemos destacar:
– Inflamação crônica
– Estresse oxidativo
– Resistência insulínica
– Lesões/adoecimento
– Aumento do dano ao DNA
– Alterações hormornais
– Inatividade
É importante ressaltar que cada um dos itens mencionados acima pode ser tanto conseqüência como causa do processo de sarcopenia. Prevenir, identificar fatores de risco e elaborar estratégias para o ganho de massa muscular no idoso com quadro já instalado de sarcopenia deve ser um dever de todo profissional de saúde que trabalha com cuidados preventivos e de promoção da qualidade de vida.
Em relação ao tratamento, vale dizer que toda terapia ou conduta adotada deve ser analisada com relação a custo x benefício, contraindicações absolutas ou relativas e possibilidade de adesão do paciente, incluindo aí a hipótese de prescrição hormonal, especialmente a terapia de reposição de testosterona, que quando bem indicada dentro de um contexto amplo de mudança do estilo de vida, vem mostrando bons resultados nos estudos científicos atuais e na prática clínica.
A nutrição adequada e a prática regular de exercícios físicos formam a base da cadeia. No aspecto nutricional, a ingestão protéica baixa é algo muito comum de ser encontrado. Quanto à atividade física, hoje temos segurança para indicá-la em vários perfis de pacientes com doenças instaladas, desde que seja feita uma avaliação correta para encaminhar de maneira adequada este indivíduo ao educador físico. No caso específico da sarcopenia, o treinamento resistido (musculação) é um grande aliado, independente da faixa etária.
Este perfil de paciente se enquadra perfeitamente na proposta da Medicina Esportiva, sendo um cenário ideal para atuação em equipe (médico, nutricionista, educador físico, fisioterapeuta, entre outros). Em outros textos podemos falar de algumas novas nomenclaturas que surgiram mais recentemente no meio científico, a obesidade sarcopênica e a dinapenia (perda de força e potência muscular relacionada ao envelhecimento).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *